Estive a assistir à entrevista conduzida por Judite de Sousa à advogada de Pedro Dias o presumível autor dos crimes de Aguiar da Beira, na TVI

Fiquei,  pelas perguntas formuladas pela entrevistadora Judite de Sousa, que apesar de ser vista como uma profissional de relevo da comunicação social, não demonstrou bem pelo contrário que reúne tal qualidade. Não questionou a advogada de Pedro Dias, Mónica Quintela, sobre se, considerando-se o seu constituinte inocente como afirma, afinal quem foi que matou o GNR feriu o seu colega, que se fez passar por morte e abateu o proprietário do Volkswagen Passat e feriu a sua esposa utilizando o automóvel no qual se pôs em fuga. Ora por tudo quando temos assistido muito provavelmente a dita entrega do presumível assassino não deveu ao medo deste poder ser abatido por ser essa a ordem que os perseguidores tinham e cumpririam sem a mínima contemplação. Todo este tempo foi o achado necessário para que os advogados arranjassem um argumento que pudesse causar na opinião pública a ideia de que só desta forma seria evitado por parte da polícia envolvida na perseguição do Pedro Dias, a intenção de o abaterem independentemente deste antes e sem este esquema montado, declarar a sua intenção de se entregar.Até sou capaz de compreender a intenção da advogada incumbida da defesa de Pedro Dias, transformá-lo numa vítima inocente, mas nós não somos parvos e o GNR que sobreviveu aos ferimentos causados, bem como a esposa do dono do automóvel de que ele se serviu para empreender a fuga, serão determinantes para demonstrar a inexistência da inocência de Pedro Dias. O papel dos advogados de defesa é. independentemente do seu constituinte ser um criminoso, é tentar defendê-lo. Mas muito sinceramente, o ridículo neste caso salta à vista, até porque nesta entrevista tão pouco sequer foi aflorado o facto de Pedro Dias ter comportamentos comprometedores doutro tipo de ações, que estão comprovados e não bastando houve até quando se registaram crimes depoimentos de populares que afirmarem ter tido este indivíduo determinados comportamentos absolutamente reprováveis e que só não tiveram consequências porque as pessoas da terra tendo em vista a consideração que têm pelos seus progenitores gente de linhagem, perdoarem ao filhos os comportamentos reprováveis. Estamos perante um indivíduo que pelos seus antecedentes não poderá provar a sua inocência, independentemente da qualidade de quem se constitui responsável pela sua defesa, porque já ninguém embarca em histórias da carochinha.

Na sequência do anterior post que reporta os automóveis mais fiáveis existentes nos EUA, importa publicar a lista para das posições que cada uma marca ocupa face ao inquérito realizado aos proprietários dos carros

Car Brands fiabilidade: Como eles se comportaram face aos dados exclusivos de consumo ‘Relatórios cobrindo as linhas de modelos de 29 fabricantes de automóveis
Pelo Consumer Reports
24 de outubro de 2016

AÇÕES186

Verificamos um baralhamento significativo de marcas de carros por nós examinados,  dados deste ano.Os nossos rankings de nível de marca são baseados em uma pontuação média-confiança predita em toda linha de modelos de cada marca. Nós também controlamos, independentemente da classificação de cada marca os que subiram e os que desceram desde a nossa pesquisa de 2015.
Infiniti é o maior motor este ano, saltando 16 lugares para rachar o top 10. Ele tem um pequeno modelo de programação, de modo ligeiras melhorias na confiabilidade pode resultar em grandes ganhos de marca. Três marcas caíram significativamente: Subaru , Volvo e Volkswagen . Eles também têm pequenas linhas de modelo, então um ou dois modelos que sofreram uma queda na fiabilidade teve grandes repercussões para cada marca.

Mais sobre a fiabilidade dos carros
Levantamento de confiabilidade dos carros pela CR baralha as marcas e modelos nos  rankings
10 carros mais confiáveis
10 carros de menos confiança
Maior pontuação carros americanos, SUVs e camiões
O mais e menos carros de confiança por Classe

Este ano, convertida a nossa pontuação na confiabilidade prevista para uma escala de 0 a 100 pontos, com a classificação média caindo entre 41 e 60 pontos. Melhor ou pior do que a média classificações caem em ambos os lados do intervalo.
2017 Dados a alterar a partir de 2016 marca Número de Modelos Pontuação Média Confiabilidade

Mais fiáveis                          Subida ou descida no ranting em 2016                      Nº. de modelos                                              Pontuação obtida
1 – Lexus                                                                                                                                                            9                                                                         86
2 – Toyota                                                                                                                                                        12                                                                         78
3 – Buick                                 4  posições                                                                                                       4                                                                          75
4 .- Audi                                                        1  posição                                                                                   7                                                                          71
5 – Kia                                       1 posição                                                                                                         4                                                                         69
6 – Mazda                                                      2 posições                                                                                  5                                                                         68
7 – Hyundai                              2 posições                                                                                                      7                                                                          66
8 – Infiniti                              16 posições                                                                                                       4                                                                          62
Fiáveis
9 –  BMW                                   2 posições                                                                                                      8                                                                          57
10 -Honda                                                      2 posições                                                                                  7                                                                         57
11 – Subaru                                                     6 posições                                                                                  5                                                                         54
12 – Acura                                   6 posições                                                                                                      5                                                                         53
13 – Nissan                                 2 posições                                                                                                      9                                                                         52
14 – Mini                                                          2 posições                                                                                 2                                                                         47
15 – Chevrolet                            5 posições                                                                                                     15                                                                         45
16 – Porsche                                                     2 posições                                                                                 2                                                                         45
17 – Mercedes-Benz                  4 posições                                                                                                       6                                                                         44
18 – Vau                                                             1 posição                                                                                 14                                                                         44
Menos fiáveis                      
19 –  Volvo                                                         7 posições                                                                                 4                                                                         40
20 -Lincoln                                                       4 posições                                                                                 3                                                                         33
21 – Cadillac                                 4 posições                                                                                                      4                                                                         32
22 – Volkswagen                                               9 posições                                                                                 8                                                                        30
23 – Jipe                                        4 posições                                                                                                       5                                                                        30
24 – GMC                                                            5 posições                                                                                 7                                                                        29
25 – Tesla                                        não disponível                                                                                             2                                                                        28
26 – Esquivar                                                      3 posições                                                                                 5                                                                        28
27 – Chrysler                                                       5 posições                                                                                 2                                                                        26
28 – Decreto                                                                                                                                                            2                                                                        17
29 – RAM                                                             3 posições                                                                                 2                                                                        17

Saiu ontem mais um resultado na Consumer Reports sobre a fiabilidade dos automóveis que existem nos EUA

Buick para cima, Honda e Subaru para baixo, diz Consumer Reports

24 de outubro de 2016 20:24 ET

SONARI GLINTON
TwitterTumblrInstagram

Um carro conceito Buick Avista é exibido em Pequim em abril. Buick, que vende uma grande percentagem de seus carros na China, é No. 3 no Consumer Reports no mais recente ranking de confiabilidade ‘.
Andy Wong / AP
Buick, uma subsidiária da General Motors, tornou-se a primeira marca nacional em mais de três décadas para ganhar uma das classificações mais elevadas para a confiabilidade da Consumer Reports . Os resultados do Inquérito Confiabilidade Marca anual Consumer Reports foram lançados em Detroit segunda-feira.
Sim, realmente, Buick.
Jake Fisher, diretor de auto-testes para a Consumer Reports
Lexus,  propriedade da Toyota, foi a marca de topo. ficando a própria Toyota em segundo lugar, seguido por Buick. A empresa possui carros e marcas de automóveis com base em sua pesquisa com mais de meio milhão de proprietários.
Buick
“Sim, realmente, Buick”, diz Jake Fisher, que dirige Consumer Report laboratório de testes de autos em Connecticut. Fisher diz NPR que Buick tem vindo a fazer carros seguros por um bom tempo, e ele diz que a marca continua a melhorar. De acordo com Fisher, o que define Buick além de outras marcas da GM é que ele tem um pequeno número de modelos e não produz grandes camiões ou SUVs, que têm sido um problema para GM.
O NEGÓCIO
Buick Regal compete com carros de luxo alemães
Este ano Buick vendeu mais de 1 milhão de veículos até setembro, de acordo com a GM. Buick é uma marca quase de luxo nos EUA, mas as vendas da empresa são esmagadoramente dominadas pela China, que é o maior mercado para Buick. China foi responsável por quase 40 por cento das vendas globais da GM.
Consumer Reports tem sido criticada em Detroit por ser muito apaixonado por montadoras japonesas. As marcas japonesas tudo terminaram no top 15 de 29 marcas pesquisadas. “Qualquer um que não está de acordo com nossos ratings pensa que o sistema pode ser manipuladas contra eles”, diz Fisher. “Estes são os dados. Estas são situações reais. Estes são carros que avariam. Isso não é uma opinião,  é o que as pessoas pensam sobre seus carros. Não importa se você é um fabricante de automóveis chamado Honda ou Buick. Cada carro precisa ser confiável “.

PLANETA DINHEIRO
Episode 729: Quando Subaru saiu
Honda e Subaru
Se Buick foi uma surpresa, não foi o único. “O Honda Civic, este ano com um novo design e uma série de mudanças, tem realmente caído no ranting”, diz Fisher. Esse foi um dos muitos resultados surpreendentes na pesquisa. Todas as placas asiáticas teve entre a metade superior dos 29 marcas testadas. Eles foram responsáveis por sete dos 10 primeiros lugares. O que Fisher encontrou “absolutamente surpreendente” era Honda. A empresa caiu duas posições, mal segurando em seu slot no top 10. “Esta é a primeira vez realmente na história que nós não recomendamos um Honda Civic por causa de problemas de confiabilidade”, diz Fisher.
Apesar de uma década de crescimento de dois dígitos das vendas , Subaru caiu para fora do top 10. Fisher diz que é em parte devido a problemas com seu sedan de tamanho médio, bem como problemas de qualidade com o Subaru Outback.
Nós estamos vendo problemas com a eletrônica no carro que nós também não vimos há cinco ou 10 anos atrás.
Jake Fisher
Tesla e Tecnologia
Os automóveis são mais seguros do que já estive e de muitas maneiras mais confiáveis, de acordo com Fisher.Ele diz confiabilidade continua a ser apenas um fator tão importante. “Certamente, os carros são mais duradouros. Não é incomum ter um carro que faz 100.000 ou 200.000 milhas. Mas os carros de hoje têm [problemas diferentes do que] eles fizeram cinco ou 10 anos atrás”, diz ele.
De Consumer Reports:
⦁ ” ⦁ Tesla ‘s Model S melhorou a confiabilidade média, que agora faz com que o carro elétrico um dos nossos modelos recomendados. Mas seu novo ⦁ modelo X SUV tem sido assolado com problemas de funcionamento, incluindo as suas complexas portas Falcon-asa. Ambos os veículos podem ser atualizados para incluem software de Tesla opcional semi-autônoma do piloto automático, que pode permitir que o carro para manter a posição pista, velocidade e seguintes distâncias por conta própria.
⦁ “Consumer Reports tem sérias preocupações sobre a forma como alguns fabricantes de automóveis, incluindo Tesla, desenharam, implantado e comercializado ⦁ tecnologia ⦁ semi-autónomo . Acreditamos montadoras precisam se comunicar claramente ⦁ o que esses sistemas podem e não podem fazer . Para o efeito, foram identificados modelos em nossas classificações que oferecem recursos semi-autónoma “.
“Nós estamos vendo problemas com a eletrônica no carro que nós não víamos há cinco ou 10 anos atrás”, diz Fisher. Ele diz que, como as fabricantes dos carros introduzem novas tecnologias “, muitas vezes para fazer carros melhores para conduzir ou melhor para se viver com, às vezes eles acrescentam problemas de confiabilidade, dores de cabeça de confiabilidade.”
O NEGÓCIO
Recomendação puxa Tesla Model ‘Consumer Reports’ S
Fisher usa Tesla como um exemplo de uma empresa que evolui e coloca a última tecnologia em seus carros. “Vai ser um problema”, diz Fisher, apontando que “o Model X é um dos carros menos confiáveis sobre nossa pesquisa. E há muita complexidade possivelmente desnecessário naquele carro que é outra forma bastante simples trem de força. Quer dizer, os carros elétricos devem ser confiáveis “, diz Fisher. Ele diz que toda a tecnologia, incluindo piloto automático, é o que está puxando o rating da Tesla para baixo.
Fisher diz que algumas empresas correm para usar a tecnologia mais recente, seja comprovada ou não, outras empresas preferem mais de um rollout metódico, lento.Ele diz que Toyota e Lexus, que ganhou os primeiros prémios, tendem a não colocar a tecnologia absoluta mais recente e maior em seus veículos. “Algumas pessoas dizem [Toyota é] um pouco chato, mas há uma razão que eles são. Porque eles são um pouco mais lentos em implantar  a tecnologia.” Fisher diz que o domínio da Toyota em termos de confiabilidade “tipo de prova o seu ponto alto.”
Recursos de web
Consumer Reports Confiabilidade FAQ

Mais uma opinião sobre um defensor das medicinas alternativas, na tentativa de demonstrar que a eficácia dos fármacos não é tão desejável como o que nos pretendem convencer.

A medicina convencional não é tão “científica” como isso

No entanto, é evidente que a medicina convencional, que é apresentada como “baseada em evidências” (em Inglês, “medicina baseada em evidências”), é muito menos científica do que se afirmava.

Considere alguns exemplos.

Há uma substância que eu estava convencido de que era eficaz: a morfina como analgésico.

Eu tinha toda a confiança na morfina, que é a substância mais antiga usada na medicina. Pode ser encontrada em muitas civilizações, da Europa para a China via Egito, entre os gregos, sumérios e indianos, todos eles utilizados a papoula (planta da qual é extraída a morfina).

A morfina é um dos primeiros alcalóides foram sintetizados a partir do final do século XVIII, e por isso temos particularmente em declínio julgar a sua eficácia.

Eu estava tão certa de que era uma substância a ser usada sem pensar duas vezes, mesmo se sabemos que, claro, os perigos e efeitos colaterais.

Bem aqui que, zás, um estudo recém-lançado em junho 2016 afirmando, contra todas as probabilidades, como a morfina pode realmente ser nem mais nem menos eficaz do que um placebo para doenças dolorosas que duram mais de nove meses e aumentar o sofrimento dos pacientes. [6] Obviamente, isso não é uma terrível dor de cabeça e pescoço, após uma cirurgia pesada e longa, múltiplas fraturas de politrauma, uma ciática paralisante.

Eu não sei se este estudo é confiável ou não. Mas o fato de que ele existe, e ainda não foi refutada, que agora é permitido questionar a utilidade de morfina para a doença prolongada.

É o mesmo com outro produto usado por um longo tempo (1780) pelos médicos: digoxina, derivado de digitalis contra insuficiência cardíaca.

Um estudo de 1997 descobriu que a digoxina não reduziu a mortalidade [7]. Um estudo 2016 indicou que aumenta a mortalidade em pessoas com insuficiência cardíaca [8].

Os doentes tratados com digoxina, portanto, estavam em risco por nada (porque digoxina é altamente tóxico e um erro de dosagem pode ser fatal). Este é o oposto do que sempre pensou e agora, cardiologistas estão no limbo.

A aspirina também podem apresentar mais riscos do que benefícios, como a penicilina:

“A maioria das pessoas concorda que os (as autoridades de saúde dos EUA) FDA nunca teria autorizado a aspirina se tivesse existido na época; mesmo a penicilina, a droga maravilha que ajudou a prolongar significativamente a expectativa de vida da humanidade, quando foi introduzido na década de 1940, é duvidosa. reacções alérgicas à penicilina matou uma maior proporção de pacientes que o Vioxx (um anti-inflamatório que foi um enorme escândalo na década de 2000 e foi retirado do mercado). hemorragia gastrointestinal causada pela aspirina teria sido eliminado na fase de ensaios em animais [9].

O paracetamol em si pode ser também prescrita.

A operação cirúrgica em caso de apendicite, tão popular ainda há vinte anos, não é mais, uma vez que foi verificado que a operação foi utilizado, na maior parte, nada comparado um simples curso de antibióticos. De forma semelhante ao funcionamento das amígdalas.

Estudos estimam que os antibióticos, que foram utilizados em grandes quantidades durante cinquenta anos, parecem ter efeitos colaterais totalmente inesperadas, como obesidade e metabólicas doenças, microflora intestinal com deficiência [10]. Além disso, o declínio da sua eficácia contra a ascensão de ultra-resistentes bactérias podem em breve torná-los obsoletos.

Estudos recentes indicam agora que os antidepressivos não são mais eficazes do que o placebo. [11] Que tomar analgésicos maioria da sua eficácia também efeito placebo. [12]

Portanto, há de tudo, desde os estudos “sérios” e “científica.” Tudo e seu oposto.

Isso não significa que devemos condenar a medicina convencional.

Mas seu interesse em pacientes que não é como em estudos clínicos na actual prática médica médico, seguindo uma tradição de ensino e enriquecida pela sua própria experiência. Estes são reflexos, gestos, atitudes, produtos, declarações feitas sobre que levam ao bem-estar e curas reais que vemos.

Mas a base “científica” para esta prática são muito mais fracos do que gostaríamos.

A medicina moderna não é um campo repleto de certeza.

Muitas vezes, mais frequentemente eles saem do pensamento, os médicos continuam espantado com os resultados de suas ações. Remédios andar muito mais rápido e muito melhor do que o esperado; ou muito mais lento e muito pior.

Acaso, sorte, fenômenos inexplicáveis, continuam a representar uma parte significativa da medicina hoje.

A medicina convencional não deve estabelecer-se como comunidade de crença dogmática para segurar a verdade científica, e reivindicar uma autoridade capaz de refrear a liberdade terapêutica dos outros.

O dia pode vir quando será tão avançada que os médicos podem reparar um ser humano com tanta certeza que um mecânico que repara um carro. A proliferação de próteses é a prova: os quadris, joelhos, ombros, biliar ou do trato urinário, rins e coração agora.

Mas não estamos lá agora. Especialmente para todas as doenças crônicas, complicado, sistêmica, que representam a maioria das despesas médicas (cancro, doenças cardiovasculares, doenças auto-imunes, doenças inflamatórias crônicas, diabetes, doenças neurodegenerativa, doença mental …).

Pegue qualquer tópico médico e leia realmente até o fim, você vai encontrar os especialistas mais especializados não concordando. Por exemplo, alguns dos maiores especialistas acreditam que o colesterol deve ser combatido, não. Alguns deles acreditam que existe bom e mau colesterol, outros não. O debate não está resolvido.

A maioria, aqueles que estão em uma posição forte nas instituições, a Ordem Nacional dos Médicos, por exemplo, vai sempre ser tentado a usar sua autoridade para silenciar oponentes. A pose como “palhaços” incompetente “charlatães”, excluem para a paz e evitar o seu “prestígio científico” é desafiada. É seus editais Paris, perto empresas políticas e assentos farmacêutica que pagam suas convenções, sua “pesquisa” media perto de lidar com eles, para impor a sua lei.

Mas você nunca deve ser convencido pelo argumento de que “somos mais numerosos, portanto, estamos certos” ou “Eu sou o presidente então cale a boca.”

Isto não é como a ciência funciona. Muitas vezes, eu diria mesmo sistematicamente, as crenças mais estabelecidos acabam sendo desafiado.

Esta é uma regra absoluta, nunca vacilou na história, especialmente na medicina !!

E não há nenhuma razão para pensar que entramos hoje numa “nova era” onde a medicina seria agora chegar a certeza de que não se moverá.

Essa visão seria ingenuidade até mesmo ridículo.

Dá-me qualquer tratamento médico, comprometo-me a provar-lhe que há uma possibilidade, de nós perceber-mos um dia que não era prudente fazer isso, faz-nos mais mal do que bem ao usá-lo.

Mesmo o desinfectante em feridas, paracetamol para a dor de cabeça, os selos contra as cáries, a insulina para os diabéticos, laxantes para a obstipação, antidepressivos para depressão, ansiolíticos, hipnóticos para as pessoas que dormem mal, angioplastia para o coração, os AINE contra a osteoartrite pode ser discutido.

Eu cito estes exemplos porque são tratamentos médicos comuns, como todos sabem. Eles são prescritos diariamente para milhares de pessoas. Eles são ensinados nas faculdades aprovadas pelas autoridades considerado óbvio para todos os níveis do sistema médico.

Bem, fez a pergunta a um médico competente. Se ele é sincero, ele vai reconhecer que, basicamente, por nenhum destes tratamentos é bastante certo de que este é uma coisa boa, definitivamente. E não só isso, mas ele irá dizer-lhe que é muito provável que um dia todos esses procedimentos serão desafiados. Para alguns, eles já são.

Isto não é para falar mal da medicina convencional. Mas é de reconhecer, porque não o suficiente, nós não chegamos ao final de conhecimento, o “fim da história” da medicina.

Todo o nosso conhecimento do corpo humano estão se movendo. Eles são susceptíveis de ser desafiados a qualquer momento por novos dados, uma descoberta. Foi há vinte anos, nos foi prometida no final de todas as doenças através de genética. Isto provou ser um beco sem saída. Mas pode ser que a forma de curar todas as doenças muda radicalmente em um futuro mais ou menos próximo, e muitos dos nossos métodos de modo “avançado” provar em retrospecto ter causado em mais mal do que bem. Vamos falar sobre a quimioterapia, por exemplo. campanhas de rastreio do cancro. Vacinas. Hormonal pílula anticoncepcional, o Depakine, somos apresentados novamente como uma droga “indispensável” [13], os antidepressivos, os bifosfonatos contra a osteoporose, antiácidos (inibidor da bomba de protões) contra o refluxo, e muitas outras drogas.

E é aí que eu venho para as raízes filosóficas da medicina alternativa:

medicina natural ou alternativa ou complementar (você também pode ligar para a medicina alternativa, ou integrativa, a lógica também se aplica), por definição, incluem práticas que são rejeitadas pela medicina convencional, que considera o charlatão desacreditado ilusória .

Em que a medicina convencional superestima sua capacidade de distinguir entre o bem eo mal medicina, e para posar como árbitro em todas as áreas.

Os ensaios clínicos randomizados ajudaram a construir alguns pontos de referência, com um grau aceitável de confiabilidade. Eles também ajudaram a identificar muitas práticas médicas perigosas, que poderiam, assim, ser excluídos.

No entanto, a complexidade desses estudos, o grau de exigência para que sejam confiáveis, os recursos materiais de que necessitam, a opacidade que reina sobre as condições reais da maioria deles estão a organizar o a medicina não pode pagar hoje para usar esses estudos para justificar um comportamento dogmático.

liberdade de saúde, a abertura, o direito de tratar de outra forma, o direito de experimentar absolutamente deve continuar a ser a base da prática médica, por um tempo muito longo.

Nós não estamos lá ainda, para qualquer doença, a fase em que qualquer pessoa pode dizer: “Agora nós sabemos, este é o remédio mais eficaz. Para muitos pacientes, para que possamos evitar qualquer alternativa, porque ele vai inevitavelmente ser menor “.

Claro, muitos médicos, os investigadores estão tentados a acreditar que. Eles iriam impor a sua visão. Mas não deixe que eles. E as autoridades públicas certamente não deve emprestar seu braço da espada.

Fazer isso seria um erro grave que poria em causa a possibilidade de progresso, o que levaria a medicina convencional para se tornar um tipo de igreja obscurantista, uma espécie de seita fechada.

É uma questão de direito para os pacientes, mas também essencial para manter aberto o caminho para o progresso do conhecimento médico.

Era necessário que eu abordar este assunto de fundo, porque autoridades médicas hoje têm muita confiança em si mesmos. Eles têm muitas certezas. Eles são muito tentados a se comportar no tribunal pela polícia, e constantemente encontrar-se juiz e júri. Considere a maneira aberrante eles estão perseguindo Prof. Henri Joyeux. Felizmente ele não deixar ir, mesmo se você quer proibi-lo a consultar, aconselhar. Ele não se opõe à medicina convencional, é contra seus abusos gastos cada vez mais frequente, colossal prejudicar o orçamento da saúde.

As autoridades médicas não deixaram o terreno concreto dos pacientes, ou nunca ter alcançado porque os biólogos, sociólogos, epidemiologistas, estatísticos, muitas vezes … assessores dos ministérios passam o dia nas nomeações e refeições de lobbying, que eles não sabem resistir.

Eles acreditam que isso é bom, porque eles estão determinados a agir para o bem dos pacientes. Mas eles estão errados. Eles são vítimas de uma ilusão. Eles pensam que sabem o que é bom para os pacientes, porque eles são muito confiante em estudos clínicos. Mas eles não parecem compreender o alcance real do conhecimento científico médico, que é, por natureza, muito limitada, especialmente agora que estamos apenas no início.

Esqueceram-se de que a dúvida, debate, questionamento, a capacidade de ouvir para os seus adversários e confrontar os seus argumentos são uma condição para o surgimento da verdade, o progresso em direção à verdade.

Isto é verdade em todas as ciências, mas é ainda mais verdadeiro na medicina, que não é exatamente uma ciência. É uma arte que não está decidido em departamentos governamentais e menos ainda em laboratórios farmacêuticos, mas em primeiro lugar à beira do leito.

No entanto, o debate normal, não existem mais. Vamos ver como o ministro da Saúde, Marisol Touraine fala: “A vacinação, não pode ser discutido”, ela é capaz de declarar publicamente.

Isso mostra o grau de perplexidade e incompreensão do que a pesquisa realmente médica, ou até mesmo a ciência em geral.

Observe a medicina alternativa é preservar o ecossistema do qual sairá novas abordagens promissoras.

É por isso que eu tenho tanta admiração pelo Professor Luc Montagnier, que é tanto um Prêmio Nobel de Medicina, mas também abordagens alternativas grande defensor. Ele é um homem de grande modéstia e grande realismo, que entendeu que “a ciência médica”, hoje, é apenas uma etapa do progresso científico, não é o fim último.

Observe medicinas alternativas, é lembrar que a medicina é para os pacientes, nem os pacientes são feitas para a medicina. No início deste terceiro milénio, nós nunca vimos tantos pacientes jovens: câncer, diabetes, hipertensão, estéril, autismo, doenças autoimunes, doenças sexualmente transmissíveis (AIDS, câncer cervical e anogenital …).

Os pacientes devem ser capazes de tratar-se da maneira que acha que é melhor para eles.

Para isso, eles devem ter acesso a vários tipos de terapeutas, que não deve estar preocupado se eles oferecem diferentes abordagens.

Ninguém tem que dizer a eles, para que se ouça, que a medicina convencional, necessariamente, saber o que é melhor para eles. A incerteza é muito grande. Abertura, liberdade, medicina alternativa e complementar na sua maioria, portanto, devem manter o lugar mais alto possível para o progresso mais rápido possível.

Como podemos contribuir. Esta é a razão para a Saúde Inovação Nature. E é uma bela missão.

A sua saúde!

Jean-Marc Dupuis

Por ter achado imensa piada pela relação das escolhas aqui vai a reprodução daquela que é a dinastia do Eduardo dos Santos

FENOMENAL

Em Angola, há muito que se pratica a verdadeira austeridade.
Exemplo: o governo não gasta dinheiro em Conselho de Ministros, pois reúne-se ao fim de semana em almoços familiares onde são resolvidos os problemas do país.

A PROVA:

1. Ministro das Finanças: Carlos Lopes, marido da irmã da primeira-dama Ana Paula dos Santos.
2. Ministro do Ensino Superior; Adão do Nascimento, sobrinho do presidente José Eduardo dos Santos.
3. Vice-Presidente da República: Manuel Vicente, enteado da falecida irmã do presidente José Eduardo dos Santos.
4. Secretário de Estado para a Habitação: Joaquim Silvestre, irmão da primeira-dama Ana Paulo dos Santos.
5. Secretária do Presidente para os Assuntos Particulares: Avelina dos Santos, sobrinha do Presidente José Eduardo dos Santos, filha do seu irmão Avelino dos Santos.
6. Administrador do Fundo Soberano: Zenu dos Santos, filho do José Eduardo dos Santos.
7. Secretário-geral da Casa Militar: Catarino dos Santos, sobrinho de José Eduardo dos Santos, filho do seu irmão Avelino dos Santos.
8. Presidente do Conselho de Administração da EPAL: Leonildo Ceita, primo da primeira-dama.
9. Presidente do Conselho de Administração da ENANA: Manuel Ceita, primo da primeira-dama Ana Paula dos Santos.
10. Presidente do Conselho de Administração do Banco de Comercio e Industria (BCI): Filomeno Ceita, primo da primeira-dama.
11. Director do Instituto Nacional de Estatística: Camilo Ceita, primo da primeira- dama, Ana Paula dos Santos.
12. Presidente do Conselho de Administração da MECANAGRO, da GESTERRA e presidente da Federação Angolana de Hóquei em Patins: Carlos Alberto Jaime Calabeto, sobrinho/primo do presidente José Eduardo dos Santos.
13. Governador do BNA – Banco Nacional de Angola: José Massano, amigo pessoal e ex-colega de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos.
14. Vice-governador do BNA: Ricardo de Abreu, compadre e amigo pessoal de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos.
15. Ministra de Comércio: Rosa Pacavira, sobrinha da esposa de Avelino dos Santos, irmão do presidente José Eduardo dos Santos.
16. Administrador da TAAG: Luís dos Santos, irmão do presidente José Eduardo dos Santos.
17. Presidente do Conselho de Administração da A Maria Emília Abrantes Milucha, mãe da Tchize e Zé Dú dos Santos (Korean Dú) filhos do presidente José Eduardo dos Santos.
18. TPA 2 entregue a Semba Comunicações, empresa de Tchize e Korean Dú, filhos de José Eduardo dos Santos.
19. Presidente do Conselho de Administração da Sonangol: José Francisco de Lemos, primo da primeira-dama Ana Paula dos Santos.

Ou seja, é sempre dia de TODOS OS SANTOS!

 

Durante a anterior legislatura o então governo de direita privou trabalhadores e reformados de parte do seu rendimento argumentando que era para equilibrar as contas públicas

Como se assistiu além de não se verificar o equilíbrio das contas públicas o défice aumentou porque os juros dos empréstimos concedidos pelos agiotas do FMI e pelo BCE atingiram valores que superaram os montantes do capital emprestado. E o valor neste momento atingido é absolutamente impagável porque como os juros que se vão vencendo incidem quer sobre o capital emprestado quer sobre os juros que se adicionam à dívida o montante é tão elevado que é absolutamente impossível puder ser pago. A direita que agora está na oposição apesar da receita aplicada que tirou rendimentos aos trabalhadores e reformados, insurgiu-se desde a primeira hora com a reposição quer do corte de salários quer o das pensões porque tal restituição iria comprometer os resultados dos sacrifícios anteriormente feitos. Os resultados pela direita anunciados não passam de mera ficção e não é nem foi a reposição do poder de compra da classe média baixa que influiou no aumento do défice. A realidade prende-se sobretudo com a falência dos bancos privados que envolvem milhares de milhões de euros e ainda ninguém é capaz de determinar o prejuízo final resultante de más gestões, gestões danosas e fraudes de grande monta, sem responsabilização ainda dos respectivos responsáveis. Já muito gente entendeu que a propaganda de que dispõe a direita já não consegue enganar a maioria das pessoas que hoje não têm dúvidas que foram enganadas pela direita, algumas das quais, nomeadamente os aforradores que fizeram aplicações no BES se viram despojados do dinheiro que representa para muitos anos de sacrifícios quer no estrangeiro, no caso dos emigrantes quer em Portugal todos aqueles que caíram no conto do vigário aconselhados pelos seus gestores de conta, gente essa que deveria ser chamada à responsabilidade que nem sequer o será. Os representantes da direita desde o início da governação contestaram a reposição dos salários cortados bem como das pensões porque tal iria, ou melhor foi a causa do défice ter disparate para mais de 130%. Apesar da contínua propaganda as agências de rating não só não baixaram as notações como as mantiveram e a venda de títulos de tesouro sempre que são colocados no mercados têm tanta procura que supera largamente a oferta o que tem feito com que os juros registem variações quer na descida quer na subida. Os economistas do regime de direita infestam-nos com ameaça dum possível novo resgate porque estamos a gastar o que não temos. não havendo o cuidado de se encontrar mecanismos de compensação. Ora os parceiros do governo que constituem o suporte parlamentar sugeriram e muito bem quer era chegada a hora e esta até já vem tardia de ir buscar dinheiro aos afortunados que como se resto já foi público alguns deles aumentaram significativamente a sua fortuna para além de ter aumentado o número de afortunados no período da governação da direita que atirou para a pobreza mais de dois milhões de portugueses, não tendo ainda sido apurado verdadeiramente o número de miseráveis que também aumentou. E porque só foi ainda anunciada a intenção que tão pouco foi tratada e determinada quer pela coligação parlamentar quer pelo governo, surgiu de imediato uma contestação quer os visados que afirmam irem fazer investimentos para o estrangeiro, em vez de os fazerem em Portugal e mais ridículo ainda serem acompanhados na sua contestação por gente que não tem onde cair morta e apesar de ter sido sacrificada durante o governo da direita acha que também podem vir a ser visados na medida que apenas e só foi ventilada. Por tudo a que estamos a assistir facilmente se pode chegar à conclusão que neste país os ricos podem continuar a aumentar a sua riqueza vivendo faustuosamente porque inclusivamente até há gente dita remediada e mesmo pobre que os defende, pois nesta sociedade de capitalismo selvagem, modelo de resto que se tem vindo a provar, claudicou deve continuar porque o socialismo que se pretende introduzir algo que neste país nunca aconteceu, ou seja obrigar os ricos a igualmente comparticiparem para o equilíbrio do défice e das contas públicas. tal não deve ser feito.

Já em tempos abordei este tema mas não me canso de repetir esta estupidez lusa que foi instituída não sei bem por quem

Em qualquer país da Europa os automóveis em segunda mão são depreciados em função do número de quilómetros que registam os seus respectivos conta-quilómetros. E este critério faz sem dúvida todo o sentido porquanto qualquer automóvel que apesar de possuir um ano ou dois possa ter mais de 100.000 kms registados no seu conta-quilometros, na Europa esse automóvel custa menos dinheiro que um outro da mesma marca e modelo que tenha por exemplo um ano ou dois a mais mas que registe apenas 30 ou 40 mil quilometros. E o porquê correcto deste critério de depreciação dum automóvel na Europa. Porque o que desgasta qualquer automóvel não são os anos que ele tem mas sim a quilómetragem que ele regista porque existe uma vasta gama de componentes do automóvel que com o elevado número de quilometros percorridos estão tão desgastados que têm de ser substituídos o que não acontece com os stands de usados que os têm em venda por isso muitos daqueles que os adquirem estranharem que passado pouco tempo de tal acontecer, ter logo necessidade de gastarem dinheiro com a substituição desses componentes. Normalmente a corrente de transmissão, o kit de embraiagem, a suspensão, etc. etc. Ora isso não acontece com um automóvel que possa ter mais um ano ou dois de existência na posse do primeiro dono mas com muito menos quilómetragem porque esses componentes não carecem de substituição. Considero pois que este critério de depreciação dos automóveis em Portugal e exclusivamente aqui usado é absolutamente estúpido pois não faz qualquer sentido. Admito que este critério favorece sobremaneira as empresas de rent-a-car porque como é sabido os automóveis que alugam percorrem muitos milhares de quilómetros e apesar das suas matrículas serem recentes, colocam os seus automóveis no mercado dos usados a preços elevados para o desgaste que os mesmos têm. Tenho abordado este assunto com pessoas ligadas aos stands de automóveis novos e ninguém me consegue explicar a falta de lógica ou melhor a total estupidez aplicada a este critério exclusivamente português de depreciação dum automóvel. De resto e é por isso que muita gente continua a importar automóveis usados doutros países europeus exactamente porque conseguem comprar um automóvel com dois ou três anos, ou seja, quase em estado semi-novo, mas como os mesmo possuem muitos quilómetros e o conceito de depreciação incide sobre exactamente esse elemento de desgaste, repito essas pessoas compram um Mercedes, um BMW ou qualquer outra marca alemão com ano de fabrico recente mas por valor mais baixo. O problema depois com que se deparam é com a autoridade tributária, que, embora ilegalmente, cobra sobre o veículo o ISV, provocando o aumento substancial do custo final do automóvel. Mas ainda assim esse ilícito procedimento que já foi inclusivamente objecto de sanção ao governo português por esse procedimento, dizia não desmotiva os interessados em poder possuir um automóvel do seu gosto a um preço mais acessível que em Portugal.


Arquivos

Central Blogs

congeminações

Central Blogs

Categorias

congeminações

  • 685,555 hits

Comentários Recentes

Antonio em Atenção consumidores a MEO 40…

4shared

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Listed on BlogShares
Powered by BannerFans.com
Twingly BlogRank

twitter

congeminacoes

  • RT @fernando_cabral Blogger da Geórgia explica ataque ao twitter http://bit.ly/Oybo5: Fica assim provado que os russos são uns tipos porreir 7 years ago
  • não a favoreceu. Bem longe disso. 7 years ago
  • Isto por aqui está desinteressante, ninguém aborda ninguém, por falta de tema desafiante, adeus e passem muito bem 7 years ago
  • Será que a ideia de rasgar, vai contemplar o plano tecnológico, para que Portugal possa ficar, mais atrasado no resultado lógico 7 years ago
  • a compra de de tamiflu que nem sequer está aconselhado para combater esta estirpe 7 years ago

Follow me on Twitter