Arquivo de Setembro, 2008

Para descontrair

Um casal tinha dois filhos que eram uns capetinhas.
Os pais sabiam que se houvesse alguma travessura onde moravam, eles
com certeza estariam envolvidos.

A mãe dos garotos ficou sabendo que o novo padre da cidade tinha tido bastante sucesso em disciplinar criança.
Então ela pediu a ele, que falasse com os meninos.

O padre concordou, mas pediu para vê-los separadamente.
A mãe mandou o filho mais novo.

O padre, um homem alto com uma voz de trovão, sentou o garoto e perguntou-lhe austeramente:
– Onde está Deus?

O garoto abriu a boca, mas não conseguiu emitir nenhum som.
Ficou sentado, com a boca aberta e os olhos arregalados.

Então, o padre repetiu a pergunta num tom ainda mais severo: o garoto não conseguia emitir nenhuma resposta.

O padre levantou ainda mais a voz, e com o dedo no rosto do garoto berrou:
– ONDE ESTÁ DEUS ?????????

O garoto saiu correndo da igreja direto pra casa e trancou-se no quarto.


Quando o irmão mais velho o encontrou, perguntou:
– O que aconteceu?

O irmão mais novo, ainda tentando recuperar o fôlego, respondeu:


– Cara, desta vez     tamo fu – di – do.

DEUS sumiu, e acham que foi a gente !!!!!

Câmara dos EUA rejeita pacote de US$ 700 biliões, governo estuda próximo passo

da Folha Online

O pacote de US$ 700 biliões de ajuda ao setor financeiro, proposto pelo governo no último dia 20 e rejeitado nesta segunda-feira na Casa dos Representantes (Câmara dos Deputados), após uma semana de intensas negociações, tem agora um futuro incerto. O porta-voz da Casa Branca Tony Fratto afirmou o presidente George W. Bush vai se reunir com membros do Congresso e da equipe económica mais tarde para ‘determinar os próximos passos”.

A Casa Branca informou que está “muito desapontada” com a rejeição ao pacote. “Não há dúvidas de que o país está enfrentando uma crise difícil”, afirmou Fratto. A Câmara rejeitou o pacote por 228 votos contra; a favor foram 205 votos. Os votos contrários ao pacote de resgate dos bancos vieram tanto dos democratas como dos republicanos. Segundo o jornal “The New York Times” (“NYT”), mais de dois terços dos republicanos e 40% dos democratas se opuseram.

De acordo com o diário americano “The Wall Street Journal” (“WSJ”), líderes republicanos e democratas dizem que vão considerar uma revisão do projecto. O texto rejeitado hoje não pode ser reencaminhado à Câmara.

Após a votação, líder dos republicanos na Casa, John Boehner, disse que haverá um esforço para a elaboração de um novo texto, com mais mudanças. “Temos de encontrar um verdadeiro meio-termo”, disse. “Precisamos que todos se acalmem, relaxem e voltem ao trabalho.”

Ainda não há, no entanto, uma perspectiva nem para apresentação de uma nova proposta nem para uma nova votação.

Os votos contrários ao pacote de resgate dos bancos vieram tanto dos democratas como dos republicanos. Segundo o jornal ‘New York Times’, mais de dois terços dos republicanos e 40% dos democratas se opuseram.

Os líderes da Câmara ainda tentaram estender a votação por mais tempo, para convencer colegas do ‘não’ a optar pelo “sim”, mas não tiveram sucesso. Segundo o “WSJ”, o secretário do Tesouro, Henry Paulson, fez contacto com os parlamentar via celular no esforço da aprovação.

No plenário, os defensores do pacote usaram como argumento a necessidade de tirar o país de uma recessão e de uma crise sem precedentes. Quem votou contra, argumentou que a aprovação do plano ocorreria por medo, o mesmo sentimento que levou o país à guerra contra o Iraque, disseram.

Além da discussão sobre um novo texto, as lideranças no Congresso ainda precisam lidar com outro problema prático: os congressistas têm tentado deixar Washington, para fazer campanha –em Novembro, além da eleição presidencial, também haverá votação para renovação das casas legislativas americanas.

Apelos

Em novo discurso na TV, Bush disse na manhã de hoje que a aprovação do pacote seria difícil, mas que estava otimista. “Votar essa lei é votar na prevenção de danos económicos a vocês e às suas comunidades”, disse Bush hoje, no terceiro pronunciamento na TV em menos de uma semana.

Bush ainda havia afirmado que, apesar do pacote de ajuda, a economia americana ainda deverá sentir o impacto da crise “por algum tempo”. “No longo prazo, os EUA vão superar os desafios e continuar a ser a maior economia do mundo”, afirmou Bush.

Na sexta-feira (26), Bush disse, em um outro breve pronunciamento, que o governo vai conseguir aprovar o pacote. Ele reconheceu haver desacordos sobre determinados aspectos, mas não sobre a necessidade de se fazer algo para evitar maiores danos à economia.

Na quarta-feira (24), Bush, em um pronunciamento um pouco mais longo, disse que os Estados Unidos estão “imersos em uma grave crise financeira”. Segundo ele, sem o pacote, poupanças serão perdidas, os despejos aumentarão, empregos serão perdidos, empresas vão fechar e o país irá mergulhar em “uma longa e dolorosa recessão”.

Não menos veemente foi o apelo feito na semana passada pelo presidente do Federal Reserve (Fed, o BC americano), Ben Bernanke. Ele disse, no último dia 23, que a economia americana corre o risco de entrar em recessão, com o aumento do desemprego e do número de despejos, se o Congresso não aprovasse o pacote.

“Os mercados financeiros estão em condição frágil e acredito que, na ausência de um plano, eles fiquem em situação pior”, disse Bernanke. “Acredito que se os mercados de crédito não estiverem funcionando, empregos serão perdidos, nossa taxa de crédito vai aumentar, mais despejos vão ocorrer, o PIB [Produto Interno Bruto] vai contrair e a economia não vai conseguir se recuperar de um modo normal, saudável.”

Uma economia com dois trimestres consecutivos de PIB negativo está em recessão, segundo analistas. A economia dos EUA cresceu 3,3% no segundo trimestre, depois de uma revisão do dado inicial, que mostrava uma expansão de 1,9%. parta os próximos trimestres, no entanto, as expectativas são de uma actividade económica ainda mais lenta.

Acordo

No fim de semana, líderes do Congresso americano e membros do governo haviam chegado a um acordo sobre os principais elementos do plano.

Em linhas gerais, o projeto apresentado pelo Congresso limita os poderes do Executivo para gerir o pacote, estreita a vigilância sobre a aplicação dos recursos, reduz os pagamentos milionários aos grandes executivos por trás das instituições financeiras que quebraram, além de ampliar benefícios para os contribuintes.

O texto foi redigido durante a noite e a manhã de hoje, depois que os líderes do Legislativo alcançaram um acordo, sobre suas linhas gerais, pouco depois da meia-noite. Em comparação, a proposta inicial apresentada ao Congresso pelo secretário do Tesouro, Henry Paulson, tinha três páginas.

Em lugar de pôr à disposição do Tesouro dos EUA, de uma vez só, os US$ 700 biliões, o montante será liberado de forma fraccionada. O governo poderá usar US$ 250 biliões imediatamente, e US$ 100 biliões somente se o presidente Bush considerar necessário. O Congresso pode reter os outros US$ 350 biliões se não estiver satisfeito com o desempenho do programa.

Os democratas também conseguiram introduzir cláusulas para a protecção do contribuinte. O projecto estabelece um conselho de supervisão do programa, que incluirá o presidente do Federal Reserve (banco central americano), Ben Bernanke, entre outras altas autoridades americanas.

Comentário

Apesar de também apanhar-mos por tabela com esta crise dos EUA deu-me um gozo do caraças saber que o Bush levou com os pés e vai ter de tentar outra solução e que entretanto esta grave crise das duas maiores financeiras norte-americanas, sirva de exemplo aos Jardins Gonçalves deste País para que se deixem de golpadas porque o Estado não é nem deverá ser obrigado a salvar as suas instituições do negócio financeiro onde as mesmas ocorram para evitar as consequências junto dos clientes que não têm qualquer culpa e muito provavelmente serão os prejudicados.

Segundo o CM online de hoje “Oposição interna do PSD já pede congresso”

Outra coisa não seria de esperar alguns dos militantes do PSD verificam cada vez mais a menor hipótese de Ferreira Leite proporcionar ao partido que lidera uma vitória nas próximas legislativas, pese embora a conjuntura internacional e nacional financeira que compromete a continuidade de governação pelo menos com maioria absoluta do Partido Socialista. É certo que tal como ouvi ontem a Marcelo de Sousa afirmar que Santana Lopes será um bom candidato à autarquia de Lisboa para destronar António Costa, os tradicionais candidatos do PSD a cargos políticos têm cada vez menos hipóteses de obterem vitórias eleitorais por estarem esgotados politicamente e os ditos notáveis do partido insistem em propô-los à carrida aos principais lugares políticos, gente que já demonstrou ser um verdadeiro fracasso.

Concordo inteiramente com Francisco Louçã. É imperioso e urgente suster a intenção do governo em privatizar a GALP

Uma das poucas empresas com ainda capital público que últimamente tem registado avultados lucros não deve e muito menos pode ser privatizada. Antes pelo contrário, tendo em vista o procedimento do seu amigo Hugo Chávez o primeiro ministro deveria sim era proceder à sua nacionalização, trocando o valor dos demais accionistas pela sua posição na TAP essa sim uma empresa para privatizar urgentemente. E esta intenção do governo por se me afigurar uma estupidez comparo-a a um episódio vivido, quando acerca de 2 décadas fui administrador do condomínio no meu prédio. Depois de nos termos livrado do pesadelo chamado porteira e de passarmos à posse do apartamento que ocupava gratuitamente, resolvemos por a fracção em propriedade horizontal com vista a podermos alugá-lo o que aconteceu de seguida, depois de cumpridas as formalidades legais. Passado alguns anos e após sucessivas avarias no único ascensor existente no prédio convoquei uma reunião extraordinária para deliberarmos sobre que solução. Pedido que foi orçamento à empresa responsável pela sua manutenção, foi-nos enviado e sendo o seu custo na ordem dos 12.500 euros, discutimos qual seria a forma como ultrapassar o problema da falta de verba para mandá-lo executar. Foi então quando um dos condóminos possuidor duma agência funerária se lembra de sugerir a venda da referida fracção, tendo em vista segundo afirmou a sua experiência em gestão. Opûs-me frontalmente e pedi que a assembleia escutasse o meu ponto de vista. Depois da minha exposição foi maioriatariamente aprovado que a fracção antiga casa da porteira não seria vendida mas sim seria o garante do rendimento anual tendo em vista não agravar muito as quotas do condomínio e podermos fazer face a despesas de manutenção de maior relevo. Fui contestado por o condómino que havia sugerido a venda porque assim tinha-mos à partida assegurado o dinheiro para proceder à reparação do elevador. Foi então que lhe provei que ficaria-mos prejudicados com tal opção porquanto a fracção em termos de mercado valeria o máximo de 40.000 euros, como se encontrava muito degradada necessitando de obras de beneficiação teria-mos se o quisesse-mos vender baixar o preço e esse dinheiro depressa se esgotaria, ao passo que se o mantivesse-mos em rendimento durante vários anos nós arrecadaria-mos muito mais receita como aliás se veio a provar. E como as contas foram fáceis de fazer, acabei por lhe provar o seu argumento não demonstrar qualquer vantagem. Fiz questão de narrar este episódio exactamente para provar que a acontecer a opção da privatização da GALP ainda que o Estado possa fazer um bom encaixe financeiro, este depressa se esgotará e perde-se uma importante fonte de rendimento do estado que, tal como inicialmente refiro é para além da CGD a 2ª. galinha dos ovos de oiro. Já chega de se cometerem asneiras e disparites governativos que se irão repercutir no futuro das novas gerações.

E nada melhor para iniciar que o tema relativo à grave crise económica dos EUA e a intenção dum do seus responsáveis George Bush de injectar uma avultada verba para evitar o colapso

Eu tenho sido critico, embora cliente da CGD, de alguma da actuação dos seus colaboradores menos correcta e admissível,  bem como determinada postura relativa a esta instituição bancária quanto à falta de consideração para com o cliente fidelizado há várias décadas. Mas as diversas razões de queixa que tenho tido e manifestado a partir do conhecimento que tive do escândalo do Millénium BCP que levou a que a anterior administração fosse demitida, retira de mim qualquer intenção de alguma vez deixar de ser cliente da CGD porque jamais estaria descansado quanto a um qualquer golpe praticado por responsáveis dum banco privado que o levassem à falência e logo colocassem em risco a minha situação como seu cliente.Ainda não sabemos qual será o desfecho que terá a crise económica dos EUA, face à intenção do George Bush injectar dinheiro do erário público nas instituições financeiras que estão em situação de falência nem sei se algum dia o mesmo poderia ocorrer no nosso País. Estou no entanto em desacordo total que seja o Estado dum País para salvar da insolvência uma ou mais que uma instituição financeira tenha de assumir essa responsabilidade ainda que os clientes sejam as principais vitimas. É por estas e por outras que quando destacados membros do PSD insistem no caso de virem a ser governo privatizar a CGD, só essa intenção bastaria para demover quem quer que fosse de o escolher para governar o País, isto sem sequer lhe acrescentar outra intenção a de criar alternativas privadas, ao actual modelo de Segurança Social.

Amigos estou de volta depois de ter sido em 15 deste mês submetido à amputação abdomino-perineal que felizmente decorreu sem complicações

As minhas palavras de apreço e gratidão vão inicialmente para o Chefe da Equipa dr. Rodrigo Costa e Silva e para os médicos que o coadjuvaram nesta intervenção cirúrgica, onde fui acompanhado diariamente  no pós operatório até ao dia de hoje em que ocorreu a alta. Depois os meus sinceros agradecimentos aos enfermeiros que prestaram serviço na unidade de cuidados intermédios do Hospital Egas Moniz, onde sem dúvida é de salientar o seu inexcedível profissionalismo aliado a uma postura humana não muito habitual mesmo em algumas unidades de saúde. A sobrecarga de horários e sobretudo as noites de vigilância aos doentes num constante controlo através da monitorização da evolução do estado de saúde dos doentes ali internados é efectivamente notável e merecia uma reflexão governamental sobre se a classe de enfermeiros deverá ser continuamente vítima dos cortes nas regalias salariais face ao papel extremamente importante que no âmbito das suas funções desempenham no acompanhamento e tratamento dos doentes, o factor principal na recuperação dos mesmos. Estou por isso e face a esta experiência porque passei, solidário com a luta dos enfermeiros que espero e desejo seja levada a bom porto. O meu bem hajam a todos.

Também publicado no “insinuações”

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DA ESTRADA – ENTRAM EM VIGOR ESTE FIM-DE-SEMANA

Olá a todos!!
Espero que estas informações sejam úteis para todos!!E se possível
divulguem sff.
VELOCIDADE
Sempre que exista grande intensidade de trânsito, o condutor deve circular com velocidade especialmente moderada. Caso não o faça cometerá uma contra-ordenação grave. ( Art.ºs 25.º e 145.º )
A velocidade mínima nas auto-estradas passa de 40 para 50 km/h . (Art.º 27.º
A sanção pelo excesso de velocidade é agravada e distinta quando ocorra dentro ou fora da localidade.
Assim:
Automóveis ligeiros, motociclos
Excesso de velocidade

Coima

Contra-Ordenação

Dentro das Localidades Até 20 km/h de 60 a 300 euros
Leve
20 a 40 km/h de 120 a 600 euros
Grave
40 a 60 km/h de 300 a 1.500 euros
Muito Grave
Mais de 60 km/h
500 a 2.500 euros
Muito Grave

Fora das Localidades
Até 30 km/h de 60 a 300 euros
Leve
30 a 60 km/h de 120 a 600 euros
Grave
60 a 80 km/h de 300 a 1.500 euros
Muito Grave
Mais de 80 km/h
500 a 2.500 euros

Muito Grave
Automóveis pesados
Excesso de velocidade
Coima
Contra-Ordenação
Dentro das Localidades
Até 10 km/h de 60 a 300 euros
Leve
10 a 20 km/h de 120 a 600 euros
Grave
20 a 40 km/h de 300 a 1.500 euros
Muito Grave
Mais de 40 km/h de 500 a 2.500 euros
Muito Grave
Fora das Localidades
Até 20 km/h de 60 a 300 euros
Leve
20 a 40 km/h de 120 a 600 euros
Grave
40 a 60 km/h de 300 a 1.500 euros
Muito Grave
Mais de 60 km/h de 500 a 2.500 euros
PLACAS COLOCADAS NO EIXO DA FAIXA DE RODAGEM
Para efeitos de mudança de direcção deixa de existir o conceito de placa de forma triangular. Assim, qualquer placa situada no eixo da faixa de rodagem deve ser contornada pela direita. Contudo, se estas se encontrarem numa via de sentido único, ou na parte da faixa de rodagem afecta a um só sentido, podem ser contornadas pela esquerda ou
pela direita, conforme for mais conveniente. ( Art.º 16.º )
ROTUNDAS Nas rotundas, situadas dentro ou fora das localidades, o condutor deve escolher a via de trânsito mais conveniente ao seu destino. ( Art.º 14.º )
Os condutores de veículos a motor que pretendam entrar numa rotunda passam a ter de ceder a passagem aos condutores de velocípedes, de veículos de tracção animal e de animais que nela circulem. ( Art.ºs 31.º e 32.º )
Os condutores que circulam nas rotundas deixam de estar obrigados a ceder passagem aos eléctricos que nelas pretendam entrar. ( Art.º 32.º) Passa a ser proibido parar ou estacionar menos de 5 metros , para um e
outro lado, das rotundas e no interior das mesmas. ( Art.º 49.º )
ULTRAPASSAGEM
A ultrapassagem de veículo pelo lado direito passa a ser sancionada com coima de 250 a 1.250 euros. ( Art.º 36.º )
PARAGEM E ESTACIONAMENTO
Passa a ser proibido parar e estacionar a menos de 25 metros antes e 5 metros depois dos sinais de paragem dos veículos de transporte colectivo de passageiros – autocarros. ( Art.º 49.º )Passa a ser proibido parar e estacionar a menos de 6 metros antes dos sinais de paragem dos veículos de transporte colectivo de passageiros que circulem sobre carris – eléctricos. ( Art.º 49.º ) O estacionamento de veículos ostentando qualquer informação com vista
à sua transacção (ex: vende-se, procuro novo dono, n.º de telemóvel, entre outros), é proibido e considerado abusivo, pelo que este será rebocado. ( Art.ºs 50.º e 163.º )
A paragem e o estacionamento nas passagens assinaladas para a travessia de peões (passadeiras) passa a ser considerado contra-ordenação grave. ( Art.º 145.º )
TRANSPORTE DE CRIANÇAS
As crianças com menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura devem ser transportadas sempre no banco de trás e são obrigadas a utilizar sistemas de retenção adequados ao seu tamanho e peso -cadeirinhas. ( Art.º 55.º )
É permitido o transporte de crianças com menos de 3 anos no banco da frente desde que se utilize sistema de retenção virado para a retaguarda e o airbag do lado do passageiro se encontre desactivado. (Art.º 55.º )
Nos automóveis que não estejam equipados com cintos de segurança é proibido o transporte de crianças com menos de 3 anos. ( Art.º 55.º ) A infracção a qualquer das disposições referidas nos pontos anteriores  é sancionada com coima de 120 a 600 euros por cada criança transportada indevidamente. ( Art.º 55.º )
O transporte de menores ou ininputáveis sem cinto de segurança passa a ser considerado contra-ordenação grave. ( Art.º 145.º )
ARREMESSO DE OBJECTOS PARA O EXTERIOR DO VEÍCULO
O arremesso de qualquer objecto para o exterior do veículo passa a ser sancionado com coima de 60 a 300 euros. ( Art.º 79.º ) – Atenção às beatas, charutos e outros cigarros que devem ser apagados nos respectivos cinzeiros dos carros
TROTINETAS COM MOTOR
Os condutores de trotinetas com motor, um brinquedo que hoje se adquire em qualquer supermercado, têm de usar capacete devidamente ajustado e apertado. ( Art.º 82.º )
O trânsito destes veículos não é equiparado ao trânsito de peões, pelo que não podem circular nos passeios. ( Art.º 104.º )  Para as restantes disposições do Código da Estrada, estes veículos são equiparados a velocípedes. (Art.º 112.º)
USO DE TELEMÓVEL DURANTE A CONDUÇÃO
A utilização de telemóvel durante a condução, só é permitida se forutilizado auricular ou sistema alta voz que não implique manuseamento continuado. A infracção a esta disposição é sancionada com coima de 120 a 600 euros e passa a ser considerada contra-ordenação grave. (Art.ºs 84.º e 145.º )
TRIÂNGULO DE PRÉ-SINALIZAÇÃO E COLETE RETRORREFLECTOR
Passa a ser obrigatório colocar o triângulo de pré-sinalização de perigo (a pelo menos 30 metros do veículo, de forma a ser visível a,pelo menos, 100 metros ) sempre que o veículo fique imobilizado na faixa de rodagem ou na berma ou nestas tenha deixado cair carga. (Art.º 88.º ) Todos os veículos a motor (excepto os de 2 ou 3 rodas, os
motocultivadores e os quadriciclos sem caixa) têm de estar equipados com um colecte retrorreflector, de modelo aprovado. ( Art.º 88.º )
Nas situações em que é obrigatório o uso do sinal de pré-sinalização de perigo, quem proceder à sua colocação, à reparação do veículo ou à remoção da carga deve utilizar colete retrorreflector. A não utilização do colete é sancionada com coima de 120 a 600 euros. (Art.º 88.º )
OUTRAS ALTERAÇÕES
Não parar perante o sinal de STOP, ou perante a luz vermelha de regulação do trânsito ou o desrespeito da obrigação de parar imposta pelos agentes fiscalizadores ou reguladores do trânsito, passa a ser considerada contra-ordenação muito grave. ( Art.º 146.º )  Pisar ou transpor uma linha longitudinal contínua que separa os sentidos de trânsito passa a ser considerada contra-ordenação muito grave. ( Art.º 146.º ) A condução sob influência do álcool, considerada em relatório médico,passa a ser considerada contra-ordenação muito grave. ( Art.º 146.º )
CLASSIFICAÇÃO DE VEÍCULOS
Passa a haver as categorias de triciclos e de velocípedes com motor. Para efeitos de circulação, os velocípedes com motor são equiparados a velocípedes. ( Art.ºs 107.º e 112.º ) Os quadriciclos passam a ser distinguidos entre ligeiros e pesados. A condução destes veículos passa a ficar dependente da titularidade de carta de condução. ( Art.º.s 107.º e 123.º )
TRANSFORMAÇÃO DE VEÍCULOS (TUNING)
É proibido o trânsito de veículos sem os sistemas, componentes ou acessórios com que foi aprovado, que utilize sistemas, componentes ou acessórios não aprovados, que tenha sido objecto de transformação não aprovada. As autoridades de fiscalização do trânsito, ou seus agentes,podem proceder à apreensão do veículo até que este seja aprovado em inspecção extraordinária, sendo o proprietário sancionado com coima de 250 a 1.250 euros. (Art.ºs 114.º, 115.º e 162.º )
INSPECÇÕES
Passam a realizar-se inspecções para verificação das características após acidente e inspecções na via pública para verificação das condições de manutenção. ( Art.º 116.º
REGIME PROBATÓRIO DA CARTA DE CONDUÇÃO
A carta de condução, emitida a favor de quem não se encontrava habilitado, passa a ser provisória pelo período de três anos. ( Art.º 122.º )
Acresce que os titulares de carta de condução das subcategorias A1  e/ou B1 voltam a estar sujeitos ao regime probatório quando obtiverem as categorias A e/ou B. Ou seja, nestas situações, a carta de condução é provisória duas vezes. ( Art.º 122.º ) A carta de condução provisória caduca se o seu titular for condenado pela prática de um crime rodoviário, de uma contra-ordenação muito grave ou de duas contra-ordenações graves. ( Art.º 130.º )
Os veículos conduzidos por titulares de carta de condução provisória têm de ostentar à retaguarda um dístico (‘ovo estrelado’) de modelo a definir em regulamento. ( Art.º 122.º )
SUBCATEGORIAS DE VEÍCULOS

São criadas as subcategorias B1, C1, C1+E, D1 e D1+E. Trata-se de
veículos da mesma espécie, mas de dimensões mais reduzidas. ( Art.º 123.º )
Não existe precedência de habilitações, ou seja, não é necessário estar habilitado para a subcategoria C1 para obter a categoria C.
REQUISITOS PARA OBTENÇÃO DE CARTA DE CONDUÇÃO
Aos candidatos a condutores passa a ser exigido que saibam ler e escrever. (Art.º 126.º )
NOVOS EXAMES
Os condutores detectados a circularem em contramão nas auto-estradas ou vias equiparadas, bem como aqueles que sejam considerados dependentes de álcool ou drogas, serão submetidos a novos exames – médicos, psicológicos ou de condução. ( Art.º 129.º )
SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL
A circulação de veículo sem seguro de responsabilidade civil passa a ser sancionada com coima de 500 a 2.500 euros e a ser considerada contra-ordenação grave (aplicada ao proprietário do veículo). O veículo é apreendido pelas autoridades de fiscalização do trânsito ou seus agentes. ( Art.ºs 145.º, 150.º e 162.º )
PAGAMENTO VOLUNTÁRIO DA COIMA
O pagamento voluntário da coima passa a ser efectuado no acto da verificação da contra-ordenação, ou seja, o condutor terá de pagar a coima (pelo valor mínimo) ao agente que detecta a infracção e levanta o auto. ( Art.º 173.º )
Se o condutor não pretender efectuar o pagamento voluntário imediato da coima, deve prestar depósito, também imediatamente, de valor igual ao mínimo da coima prevista para a contra-ordenação praticada. Esse valor será devolvido se não houver lugar a condenação. ( Art.º 173.º ) Se o infractor não pagar a coima no momento, ou se não efectuar o depósito referido, o agente de autoridade apreende o título de condução, ou os títulos de identificação do veículo e de registo de propriedade, e emite uma guia de substituição, válida pelo tempo julgado necessário, e renovável até à conclusão do processo. Quando efectuar o pagamento, os documentos serão devolvidos ao condutor.


COMENTÁRIO.

Ou seja face a esta entre muitas outras alterações ao Código da Estrada, o governo demonstra que na impossibilidade de combater a criminalidade violenta que grassa pelo País, resolveu transformar os condutores de automóveis nuns delinquentes de delito comum que irão, quando forem autuados sofrer coimas pesadas as quais apenas e só contribuirão para o aumento da receita do Orçamento do Estado. Quando se é incapaz de soluções para o combate ao banditismo que está em crescendo, perseguem-se os cidadãos que continuam a ser através do uso do automóvel um dos sustentáculos principais de receita ao OE.


Arquivos

Central Blogs

congeminações

Central Blogs

Categorias

congeminações

  • 691,542 hits

4shared

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Listed on BlogShares
Powered by BannerFans.com
Twingly BlogRank

twitter

congeminacoes

  • RT @fernando_cabral Blogger da Geórgia explica ataque ao twitter http://bit.ly/Oybo5: Fica assim provado que os russos são uns tipos porreir 7 years ago
  • não a favoreceu. Bem longe disso. 7 years ago
  • Isto por aqui está desinteressante, ninguém aborda ninguém, por falta de tema desafiante, adeus e passem muito bem 7 years ago
  • Será que a ideia de rasgar, vai contemplar o plano tecnológico, para que Portugal possa ficar, mais atrasado no resultado lógico 7 years ago
  • a compra de de tamiflu que nem sequer está aconselhado para combater esta estirpe 7 years ago

Follow me on Twitter