Tal como sempre acontece em actos públicos em que participam magistrados judiciais e advogados o resultado é este

A crispação existente entre o bastonário da ordem dos advogados e os magistrados judiciais já acontece há vários anos e o desfecho das sessões é sempre o mesmo. Acusações mútuas e abandono de sala, dalguns dos seus principais participantes. A ministra da justiça, que é,  tal como foram os seus antecessores um “bluff”  em matéria de competência, não vai, como não foram capazes os anteriores ministros da justiça, implementar reformas que consigam imprimir ao sistema uma resposta satisfatória de molde a trazer à justiça o crédito e a confiança perdida há vários anos. E não vai pela simples razão de que os advogados existentes em Portugal são muito mais inteligentes que os juízes, conseguindo sempre encontrar lacunas na Lei para protegerem os seus clientes dos crimes praticados. E ontem o bastonário da ordem dos advogados embora tenha referido que nunca são chamados a participar nas reformas da justiça, estas têm sido sempre feitas apenas com os magistrados judiciais, esqueceu-se dum pormenor importante que todos nós conhecemos e já foi por diversas vezes denunciado. As leis judiciais deste país têm sido sempre elaboradas por advogados que embora sendo deputados dos partidos eleitos através das suas listas, muitos deles acumulam funções em grandes escritórios de advocacia e obviamente as leis por eles aprovadas contêm muitas lacunas exactamente com o propósito de quando necessário safar um cliente eles poderem usá-las e isso acontecer. Não é por acaso que as prisões estão cheias de indivíduos que cometeram diversos crimes, mas que por falta de recursos para a contratação dum dito “bom advogado”, lhes são proporcionados na maioria dos casos defensores oficiosos, pelo que esta via de defesa é a consagração da sua prisão. Todos os outros crimes praticados por indivíduos de grandes recursos a sua prisão nunca acontece uma vez que quem os defende sabe encontrar lacunas na Lei para os defender e evitar que tal aconteça. Por isso o papagaio falante da actual titular da pasta da justiça vai ter exactamente o mesmo êxito que tiveram os seus antecessores na reforma judiciária, porque enquanto no parlamento os deputados licenciados em direito, em representação dos partidos, continuarem ligados a escritórios de advogados, a defesa das chamadas grandes causas, está sempre garantida porque as leis aprovados por eles vão manter as lacunas, instrumento através do qual se vão continuar a servir para defender os seus clientes.

3 Responses to “Tal como sempre acontece em actos públicos em que participam magistrados judiciais e advogados o resultado é este”


  1. 1 mfc Novembro 13, 2011 às 9:05 pm

    Gosto deste bastonário… e o Poder é iguala si próprio!
    Desprezível… como as coisas desprezíveis.

  2. 2 mfc Novembro 15, 2011 às 7:17 pm

    este Bastonário não tem papas na língua!

  3. 3 maceta Novembro 15, 2011 às 8:41 pm

    o Marinho é truculento, salta-lhe a palavra com muita frontalidade; ele conhece bem os manholas da praça e do poder e por isso não o gramam…mas, faz falta dar-lhes com violência.
    abraço


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Arquivos

Central Blogs

congeminações

Central Blogs

Categorias

congeminações

  • 695,845 hits

Comentários Recentes

LouannEmoro em A doença do foro oncológico é…

4shared

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Listed on BlogShares
Powered by BannerFans.com
Twingly BlogRank

twitter

congeminacoes

Follow me on Twitter


%d bloggers like this: