Arquivo de Março, 2015

Tal como prometi aqui estou a dar-vos conhecimento dos resultados da toma da água do quiabo, para regular a diabetes

Não me vou alongar sobre a minha experiência que acabei por adoptá-la como solução para tratar a minha glicémia, Como anteriormente relatei tentei vários resultados com produtos naturais dado que a experiência que havia feito com a toma da Metformina tinha-se revelado um completo desastre. E isto porque gosto de comer bem, o que me apetece, não me privar do meu copo de vinho tinto à refeição e de quando em vez mais propriamente nos repastos aos sábados em família beber o meu digestivo com o café. Obviamente que deste meu procedimento a Metformina representou em termos de resultado um completo fracasso face aos valor obtidos através das medições diárias quer de manhã em jejum quer no chamado intervalo das refeições. Andei sempre a rondar os 200 e ainda que não abusando muito com doces e digestivos os valores raramente descia dos 160. Por outro lado tenho um grande problema que é ser um incorrigível comodista que ao longo dos anos me desabituei de andar a pé ou seja por dia nem sequer devo percorrer 500 metros. Mas como sou incorrigível neste meu mau hábito tinha mesmo de experimentar soluções para a minha glicémia visto ser um problema que me assusta dadas as suas consequências que tenho perfeita noção. Visto não conseguir os resultados ideais através da toma da Metformina por não abdicar quer do meu comodismo quer da minha dieta alimentar que nunca a alterei por esta razão, resolvi então tentar outras soluções mas neste caso através de produtos naturais. Usei o Jamelão e disso dei conta num post mas como o fruto é raro e apenas conseguia utilizá-lo uma vez por ano e só enquanto houvesse, desisti da ideia embora tenha tido resultados interessantes. Passei então ao uso do leite de alpista e também dei disso conhecimento num post embora os resultados obtidos tenham sido ténues acabei por desistir por o dito leite de alpista provocava-me obstipação. De seguida passei a tomar a água do tremoço cru e posteriormente dado que a casca é tóxica, passei a descascar 4 tremoços que punha de molho num copo de água durante toda a noite e de manhã depois de descascados, mastigava-os e engolia-os com um copo de água. Tive alguns resultados mas também não foram os desejados apesar de, com toda estas experiências que fiz, consegui sempre melhores resultados que antes não havia conseguido com a toma da Metformina, daí achar ser este medicamento do ponto de vista dos resultados uma fraude, visto que as pessoas que o tomam só conseguem obter resultados se fizerem uma dieta diagnosticada pelo médico e fazerem exercício físico. E fui sempre fazendo pesquisas na internet para tentar encontrar o produto natural através do qual e sem modificar rigorosamente nada o meu regime alimentar, não me privar de comer e beber o que sempre apreciei, acabei por encontrar vários sites dando conta de que a toma da água do quiabo, fazia baixar a glicémia. De imediato me dirigi ao local onde habitualmente faço compras e adquiri uma embalagem de quiabos. Segui então a indicação ou seja quatro quiabos, cortando as suas extremidades e abrindo-os ao meio e deitá-los num copo com água e deixar ficar a noite toda. De manhã retiro do copo os pedaços dos 4 quiabos e bebo aquela água que, embora não seja muito difícil a sua ingestão impressiona um pouco porque dá a sensação de ranho, a viscosidade com que a água fica. Mas pouco me incomoda o aspecto para mim o que me importa é o resultado. Ou seja consigo obter valores absolutamente aceitáveis, nomeadamente no chamado intervalo das refeições senão abusar obtenho valores abaixo dos 120, no período da manhã em jejum estão ou pouco mais altos, mas isso tem que ver com o mau dormir de que sou vítima há muitos anos. Em face dos resultados adoptei a toma da água do quiabo para regular a minha glicémia e como gosto de partilhar com quem me visita os resultados das minhas experiências, aqui fica o meu testemunho, com a recomendação de que a toma da água do quiabo deve pelo menos obedecer a um compasso de espera de meia hora para começar a fazer efeito, pelo que nesse período evitar de comer ou tomar qualquer outra coisa.

Por achar que faz sentido esta recomendação, divulgo-a

Alerta sobre a tampa da Sanita – Prof. Mark Wilcox – Medical Microbiology.

Alerta para os pequenos pormenores que, só por si, podem não ser considerados graves.  Porém, as pessoas que tem o seu sistema
imunológico mais debilitado, podem sofrer com esta “gota d’agua” que faltava para o surgimento de algum tipo de doença, via proliferação de
micro-organismos.

As mulheres lutam diariamente para que a tampa da sanita esteja sempre fechada. No entanto, os homens insistem em deixá-las levantadas…

Pois o motivo está provado cientificamente. Por mais irrelevante que possa parecer, as tampas das sanitas existem por um bom motivo!

Um  estudo feito pelo Professor Mark Wilcox, director clínico de microbiologia, afirmou que fazer a descarga com a tampa da sanita
levantada permite que uma nuvem de bactérias polua o ar da casa de banho, aumentando o risco de contrair doenças.

O resultado dos estudos (o Prof. Wilcox) prova que a descarga transporta as bactérias até 25 cm acima do assento da sanita e fica pelo ar da casa de banho até 2 horas.

Ou  seja, quando você faz a descarga de água, com a tampa aberta, os coliformes fecais espalham-se e permanecem no ar por cerca de 2 horas, ficando depositados nos cabelos, roupas, na  maçaneta da porta e em tudo que está ao redor. Razão para se encontrarem coliformes em muitos alimentos que ingerimos.

Outra  coisa: cuidado com a escova de dentes. Caso a deixe em cima da sanita, pode estar contaminada com todos esses germes e bactérias.

Quando  a descarga é dada com a tampa fechada, as bactérias não são encontradas no ambiente. Permanecem na tampa que deverá, assim como a sanita, ser permanentemente lavada e recomenda-se sempre que efectue a descarga com a tampa para baixo e depois lave bem as mãos.

Manter a tampa da sanita fechada na hora da descarga é uma atitude simples, mas que previne muita dor de cabeça.

 

Os apoiantes da prisão preventiva a José Sócrates depressa se esqueceram dos critérios que levaram os investigadores do caso Isaltino de Morais que se arrastou até à exaustão

E tudo isso se deve ao facto de que a revolução de Abril nunca chegou aos tribunais. Tem sido mais do que visível a contemporização judicial para com indivíduos afectos ao PSD e ao CDS que tenham exercido cargos públicos e sobre os quais têm sido instaurados processos de averiguações que, apesar da ligeireza com que se chega a resultados não conclusivos e por esse facto apesar dos indícios com vamos tendo conhecimento através da imprensa dita de investigação, os processos são arquivados com argumentos absolutamente pífios. Todos nós nos lembramos das chorudas contas na Suiça de Isaltino de Morais que segundo o próprio alegou pertenciam ao sobrinho um táxista afortunado. Esta afirmação de Isaltino de Morais, motivou um longo processo de investigação que depois de transitar em juízo demorou imenso tempo para que efectivamente se cumprisse a pena de prisão que lhe havia sido decretada. Ou seja foi notório o gozo que o visado teve para com o tribunal na constante apresentação de recursos sobre recursos, mas sempre e sempre como todos nos lembramos a exercer cargos públicos. Neste caso pelo vistos na havia fuga de coisa nenhuma nem tão pouco perturbação do processo, tudo isto explicado por Isaltino de Morais pertencer ao partido político que mais gente se tem visto envolvida em processos que acabam em nada, mas isso não é por acaso. A denuncia feita por alguém da Caixa Geral de Depósitos, de imediato despoletou uma investigação que, com pompa e circunstância ditou a prisão de José Sócrates. Os argumentos invocados pelos responsáveis pela mesma medida de coação apesar de noutras situações com outras pessoas nunca terem sido os mesmos invocados, neste caso não houve qualquer dúvida nem contemporização porque se tratava de alguém que, aquando no exercício de funções de 1º. ministro se atrevera com afrontar os magistrados judiciais. Não há nem pode haver aqui a mínima dúvida quanto à motivação, apesar de tal como fez Isaltino de Morais ter invocado que as chorudas contas na Suiça pertenciam ao seu sobrinho taxista, Sócrates apesar de invocar que os milhões de euros e os bens imobiliários são do seu amigo de infância, tal não foi tido em conta pelos investigadores e por isso vai permanecer na prisão. De maneira alguma advogo a defesa de José Sócrates, nem tão pouco ele disso precisa, mas não tenho dúvidas nenhumas que o 25 de Abril não chegou à magistratura judicial e os factos provam-no. 

 

Os acomodados do regime político anterior são hoje e sempre após o 25 de Abril o garante da direita no poder no novo regime instituído

Para evitar equívocos vou começar por descrever o começo da minha vida para que mais adiante seja entendida a razão do porquê que, tal como eu muitos outros dos que nasceram nas ex-colónias relativamente à revolução dos cravos não tivemos qualquer benefício relativamente á qualidade de vida que antes tínhamos. O meu progenitor era um funcionário dos CTT de Angola e por razões da sua competência profissional apesar de ter iniciado a sua carreira como radio-telegrafista, esteve sempre na chefia de estações dos correios normalmente em zonas fronteiriças a outros territórios também eles sob o regime colonial dos belgas e ingleses. No regime ditatorial na política de Salazar havia a intenção de demonstrar aos estrangeiros que nós não éramos assim tão miseráveis como se pretendia fazer crer. Por essa razão as estações de correios fronteiriças eram edifícios com uma certa opulência e do ponto de vista das comodidades possíveis nos anos 40, as instalações dispunham duma residência que possuía além de vários quartos, cozinha e casa de banho até com água corrente e energia eléctrica. Como as estações de correios eram o meio de comunicação telegráfica naquele tempo mais usada, o edifício dispunha de dois enormes motores a diesel que geravam a corrente necessária durante a noite para fornecer energia eléctrica à povoação sede do concelho. Ou seja quando nasci tive logo o privilégio de dispor de todas as comodidades que, nos anos 40 muito pouco gente no Portugal Continental dispunha. Tive portanto logo que nasci e nos anos 40, logo uma vida habituado a muito conforto e comodidade, situação que além de ter mentido quando atingi a idade adulta ainda melhorei no sentido de dispor duma vida que poderia ser comparada há de alguns ricos no Continente. Mas assim que atingi a idade adulta tive a noção de que não fazia sentido Angola, com o potencial de riqueza que dispunha continuar a ser governada a partir do Terreiro do Paço e na altura, colaborando com um jornal regional, fui a determinada altura ameaçado por um inspector da então DGS a polícia política que até então se designava por PIDE e cuja alteração tinha sido introduzida por Marcelo Caetano. Mas muita gente com quem convivia achavam que a situação das colónias portuguesas poderia continuar apesar de todos os outros países colonizadores, já terem entregue os territórios colonizados aos seus autóctones. Obviamente que não vou citar o descalabro que foi a condução da descolonização porque já foi demasiado abordado este tema, mas a debandada da população de origem europeia e até mesmo doutra origem que não viam futuro nenhum na guerra civil então desencadeada pelo MPLA, contra os outros movimentos de guerrilha a FNLA e a UNITA, resolveram também vir para Portugal. A grande maioria das pessoas que vieram de Angola, não perdoam aos promotores da descolonização a forma como esta foi realizada porque e comigo na questão da perda de bens aconteceu o mesmo, ficamos sem eles, porque não houve a mínima intenção de acautelar na debandada o direito dos bens de todos aqueles que vieram com uma mão à frente outra atrás. O que não aconteceu por exemplo com a descolonização da Argélia que só há muito pouco tempo deixou de ressarcir os franceses ali residentes pela perda dos seus bens. Julgo que embora a situação em Moçambique não tenha sido conduzida da mesma forma que foi a descolonização em Angola, mas não tenho dúvidas que muita gente que de lá veio para Portugal perdendo os seus e a qualidade de vida que por lá tinha também não perdoará a esquerda portuguesa que conduzia a descolonização, sobretudo os responsáveis militares que a assumiram apesar de muita gente pensar erradamente que essa responsabilidade foi do poder político então instituído e por isso um grande número dessas pessoas continuam e continuarão a não desejarem e a combaterem qualquer tentativa de subida ao poder dum partido de esquerda, situação que a mim nunca ma causou qualquer tipo de prurido uma vez que como inicialmente referi, apesar de ter perdido uma vida composta por uma qualidade que jamais voltei a ter, entendo que devo igualmente pensar na legitimidade que tem o meu semelhante de almejar melhorar a sua qualidade de vida. Por isso escolhi para título os acomodados do regime anterior porque muita gente que veio das ex-colónias e muitos dos que cá vivem continuam a clamar pelo regresso dum regime tão hediondo e tão atrasado que tão pouco sequer soube explorar o potencial de riqueza que Angola possuía e que agora está a ser pela elite dirigente que assumiu o poder.

Estes verdadeiros cemitérios de automóveis novos são reveladores da ganancia dos fabricantes face ao custo de comercialização. Ou seja preferem ver destruída milhares de unidades do que baixar os preços

Milhares de carros estão sendo abandonados, você ficará chocado quando souber o motivo.

Isso é o que as montadoras não querem que você veja. Desde que a super produção chegou ao seu nível máximo em 2009, milhares de carros foram desperdiçados. Muitas dessas fotos remontam a pouco depois da recessão, e mesmo assim, o problema com as sobras ainda hoje.

image0011

Brilhante, bonito e novo… e rapidamente enferrujando e inútil.

Esta foto é de um monte de carros que sobraram no Porto de Sheerness em Kent, na Inglaterra. Há centenas de lugares exatamente como este no mundo todo, cheio de carros que as montadoras não conseguiram vender.

image0029

Isso é verdade. Você está vendo uma das muitas reservas de carros não vendidos no mundo.
As pessoas não estão comprando carros no mesmo rítmo de antes da recessão. Quantas famílias que você conhece que ostentam um carro novo a cada ano? Por isso, milhões de carros ficam para morrer nos estacionamentos.

image0045

Baltimore, Maryland, EUA.

Bem do lado da estrada Broening em Baltimore, mais de 57.000 carros se encontram num enorme estacionamento. No começo eu me perguntava porque eles não colocavam simplesmente à venda, mas a indústria automobilística não vai reduzir seus preços drasticamente por uma razão: Não é possível vender um carro por 500 dólares e esperar alguém comprar por 15.000 é impossível.

image0052

Os carros devem ser levados de um monte de concessionárias para dar espaço para a nova produção. O que sobra é um pouco triste… filas e mais filas de carros em perfeito estado.

image0067

A indústria automobilística não pode simplesmente deixar de produzir carros novos. Isso significaria o fechamento de fábricas e demitir a dezenas de milhares de pessoas, além do mais, piorar a recessão. O efeito dominó seria catastrófico para a indústria do aço.

image0106


Nessa imagem podemos ver dezenas de milhares de carros tomando sol o dia todo na Espanha.

image0173

Quando a oferta supera a procura, alguém fica com o superávit. Depois da recessão, as famílias já não compram um carro novo a cada ano.

São Petersburgo, Rússia.

image0184
Carros europeus importados que não conseguiram vender e estão largados para enferrujar em um aeroporto.

image0198

O ciclo de comprar, usar, mudar, se acabou. As pessoas usam seus carros durante muito mais tempo depois de comprados.

image00318

Lotes aberto ao redor do mundo se converteram um cemitérios improvisados para os carros que não se venderam.

image00717

Avonmouth, Reino Unido.

Cada espaço cinza que se vê está cheio de carros sem uso-

Corby, Reino Unido.

Aqui há outro monte de carros que sobraram. Qualquer um se pergunta: por que não reciclam esses carros ou pelo menos não dão para as pessoas pobres?

image00912

Porto de Civitavecchia na Itália.

Até pode-se pensar que os fabricantes de automóveis poderiam utilizar pelo menos algumas das partes. Eles ainda acham que vão vender esses carros?

 image01315

                                                                                                                                                         Porto de Valencia, Espanha

Estas imagens são particularmente frustrantes se você está dirigindo um carro velho…

image01510

Os carros, quando expostos ao ar livre, não duram muito tempo.

Quando um carro fica ao relento, todos os óleos se vão para o fundo do poço, e logo começa a corrosão e danifica todas as partes internas do motor.

image01616

A super produção não é só uma falha do sistema nos Estados Unidos ou de uma só fábrica de automóveis, este é um problema mundial. Se não encontram uma maneira de reutilizar esses carros, milhares de carros abandonados continuarão preenchendo espaços vazíos. Isso é realmente lamentável.

 

 

 

 

Quando cito resultados obtidos através de produtos naturais no combate a alguns problemas de saúde costumam aparecer uns comentadores que me chamam de ignorante

Pois bem, para esses, sobretudo para esses, que julgam pelo facto da industria farmacêutica os trazer convencidos dos excelentes resultados de medicamentos para combater diversas enfermidades aqui deixo mais um testemunho. No meu local de trabalho esteve durante uma temporada uma estagiária que é diabética e tomava medicação mas ainda assim nas medições que fazia os valores que lhe surgiam eram na ordem dos 200 e acima deles. Foi-lhe aconselhado a toma de tremoço cru o que a mesma resolveu tentar. Logo no segundo dia após a toma da água do tremoço cru notou logo uma redução significativa dos valores então obtidos através da medicação prescrita pela médico. A partir da segunda semana deixou de tomar a medicação porque os valores então registados pela máquina de testes começaram a ser inferiores a 100. De tal forma entusiasmada com o resultado da toma da água do tremoço cru a partir do 2º. mês começou a ter valores absolutamente normais em jejum na ordem dois oitenta e tal e noventa e tal, já nessa altura não utilizando qualquer regime de dieta alimentar e comendo fruta ou doces sem restrições. Uma vez terminado o estágio deixamos de saber os seus resultados então muito animadores obtidos através da toma da água do tremoço cru e o total abandono da medicação para a diabetes. Ontem apareceu a fazer-nos uma visita e qual foi o meu espanto ao perguntar-lhe como estavam os seus valores ter-me respondido, por lhe terem acabado os tremoços crus os valores já tinham voltado aqueles que tinha anteriormente antes de utilizar a sua toma. Pois bem, para aqueles que sobre esta realidade me chamam ignorante porque são crentes nos resultados da industria farmacêutica que fiquem lá com a sua crendice e se foram diabéticos continuem a tomar a medicação que no futuro vão ver os resultados. Eu continuo com excelentes resultados obtidos através da toma da água do quiabo e irei manter porque continuo interessado em não utilizar a toma de qualquer tipo de medicação para a minha glicémia cujo pâncreas foi afectado pelos tratamentos de quimioterapia como se resto aliás foi afirmado recentemente por um cientista que chegou a esta conclusão e outros resultados pouco animadores para quem se submete a tal tratamento.

Muito sinceramente não tinha esta opinião sobre a fiabilidade dos automóveis fabricados em França por isso reproduzo as conclusões deste estudos

Oficinas de Reparação -concluiram que as marcas japonesas e francesas encabeçam o quadro internacional de fiabilidade do carro

Publicado: 16/07/2014
As marcas japonesas e francesas produzem carros mais fiáveis ​​da Europa, de acordo com pesquisa realizada por Índice de Confiança Garantia da Direct. Como um grande evento internacional de futebol chega ao fim na América do Sul, Warranty Direct montou a sua própria tabela classificativa dos quais os países a desenvolver o mais fiável As exportações de veículos. Os veículos analisados ​​foram uma média de cinco anos com quilometragem de cerca de 50.000. marcas japonesas dominaram o topo da tabela com marques incluindo Honda, Toyota, Mazda e Nissan produzem alguns dos modelos mais fiáveis ​​do mercado. montadoras francesas – Citroën, Peugeot e Renault – vêm em segundo lugar no ranking de fiabilidade com a Coreia do Sul completando o top três. – Hyundai e Kia entre as exportações mais confiáveis ​​do país as marcas japonesas são mais suscetíveis a problemas de eixo e suspensão, responsáveis ​​por uma média de 25% de faltas. Veículos franceses e sul-coreanos, porém, são mais propensos a desenvolver falhas elétricas, em 29% e 22% dos casos, respectivamente. PAÍSES MAIS CONFIÁVEL Japão-1 France-2 S Korea-3 EUA-4 Suécia-5 Alemanha-6 Itália-7 UK -8 Não é de todo ruim para o Reino Unido – apesar de suas marcas da casa marcarem uma baixa fiabilidade, os fabricantes japoneses Honda e Nissan ambos têm modelos de sucesso construídos na Grã-Bretanha. O Nissan Qashqai é produzido em Sunderland, enquanto o Honda Civic rola para fora do Swindon. MINI também pontuou bem para a confiabilidade e, apesar de ser propriedade do Grupo BMW, seus carros são fabricados em Oxford.Garantia direto diretor executivo, David Gerrans, disse: “Embora a indústria automotiva tem muitas linhas borradas agora em termos de países de origem, o consumidor médio mantém certos preconceitos sobre marcas de automóveis e os países que os criam.’Fiabilidade alemã “é uma frase muito usada, mas como é demonstrado aqui, a saída do país como um todo não corresponde aos seus vizinhos mais próximos, os franceses, cujos carros como um todo são mais confiáveis.” score Garantia do Direto Índice de Confiança é calculado em uma combinação de critérios de veículos a partir de um banco de dados de mais de 50.000 políticas vivas: • Frequência de falha • Custo de reparação • Duração de reparação • A média de idade e quilometragem Quanto maior a pontuação do Índice de Confiança, pior o carro é – quanto menor a pontuação, melhor e o número médio RI é 100. Para mais informações sobre Garantia Índice de Confiança da direta, visite;www.reliabilityindex.com/what-is Warranty Direct (www.warrantydirect.co.uk) é seguradora líder do Reino Unido direct-to-consumer para o carro, van e moto mecânica e falhas elétricas. PAÍSES e seu carro MARCAS Japão Honda, Lexus , Mazda, Mitsubishi, Nissan, Subaru, Suzuki, Toyota France Citroën, Peugeot, Renault S.Korea Hyundai, Kia, SsangYong EUA Chevrolet, Chrysler, Ford, Jeep sueca Saab, Volvo Alemanha Audi, BMW, Mercedes-Benz, MINI, o Smart , Volkswagen Itália Alfa Romeo, Fiat UK Jaguar, Land Rover, Vauxhall República Checa (Skoda) e Espanha (sede) foram omi


Arquivos

Central Blogs

congeminações

Central Blogs

Categorias

congeminações

  • 694,166 hits

4shared

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Listed on BlogShares
Powered by BannerFans.com
Twingly BlogRank

twitter

congeminacoes

Follow me on Twitter