Nós orgulhosamente para alguns, temos no País, um Alexandre “O Grande”

Que pela sua função de juiz as suas convicções são semelhantes a de um professor que tive em Benguela, decorria o ano de 1961, quando eclodiu a guerra colonial e chegou à cidade das acácias uma companhia de para-quedistas que ficou ali estacionada e que foi recebida pela população com muito carinho. Tanto carinho que passados nove meses passaram a nascer vários bebés cujos pais eram vários dos militares daquela unidade ali estacionada. O escândalo teve tais proporções que o jornal oposicionista então existente, no qual participava a jornalista Edite Soeiro e que se denominada “O Intransigente” que reportou esse registo de tal forma que a referida companhia acabou por seu substituída. Esta introdução é importante para poder chegar a esta narração. Na altura o meu professor do 2º. ciclo liceal comentando o referido escândalo, remata com esta afirmação. Todas as mulheres se vendem dependendo do preço ou do interesse. Não me contive porque aquele imbecil vestido como uma capa de docente, estava a pôr em causa não só a honestidade das mulheres em geral, como a da minha mãe e das minhas irmãos. E retorqui. Quer dizer com a convicção que o professor tem, face ao que acabou de afirmar, também inclui a sua mãe no conceito das mulheres infiéis. A reacção dele foi imediata. Expulsou-me da sala da aula, com a informação de que me iria anotar duma falta injustificada. Não vou referir o que depois se passou pois fui de imediato ter com o meu saudoso pai relatando-lhe o que se tinha passado para dar origem à falta injustificada. Perguntarão os meus amigos e o quê que isso tem a ver com o título do post. Claro que na minha opinião tem tudo a ver. O Alexandre o grande juiz de nome próprio Carlos, também é alguém cujas convicções, baseadas apenas em suposições, transforma-as em certezas que nem sequer admite a alguém se permita contrariá-las. Tem isto a ver com a ida a julgamento do ex-ministro da administração interna Azeredo Lopes, que desde o primeiro momento da investigação o Alexandre “O Grande” não teve dúvidas em concluir que ele cometeu os crimes de que é acusado e por essa razão tem que ser julgado e condenado, face ás suas certezas. Tal como referi o professor tinha tanta certeza de que todas as mulheres se vendiam, que contrariado com a minha pergunta relativamente à honestidade da mãe, me expulsou da sala de aula.

0 Responses to “Nós orgulhosamente para alguns, temos no País, um Alexandre “O Grande””



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




Arquivos

Central Blogs

congeminações

Central Blogs

Categorias

congeminações

  • 714.962 hits

Comentários Recentes

Figueiredo em Absolutamente ridícula esta in…

4shared

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Listed on BlogShares
Powered by BannerFans.com
Twingly BlogRank

twitter

congeminacoes

Follow me on Twitter


%d bloggers like this: